22.4.14

Poderíamos ter mais jornalismo por aqui. Temos "sede" de informação

Há exatamente quatro anos, eu publiquei em meu blog a respeito da necessidade de um trabalho mais eficaz de jornalismo com o objetivo de levar informações aos assisenses sobre o que está acontecendo em nossa cidade e região, mas principalmente, em NOSSA CIDADE!
As rádios existentes continuam com o mesmo perfil desde sua fundação. Precisam se reinventar.
A Radiodifusão Assisense possui um jornalismo pela parte da manhã atrelado exclusivamente àquilo que é matéria de jornais e nada mais. Claro, que o programa "O Mensageiro", continua com boa audiência mas com avisos e comunicados pagos, mas está longe de ser considerado "jornalismo". A mesma leitura se repete em programação da Rádio Comunitária Sentinela Pampeana, que procura repassar informações de jornais e da internet, como se os ouvintes não tivessem acesso e do próprio município ainda não se tem pautas frequentes ou diárias, exceto quando alguém é convidado pela emissora e vai para alguma entrevista agendada e as pessoas "correm" para frente do rádio.

Não consigo entender se para realizar um trabalho diferenciado faltam apoiadores, pois sem dúvida teriam custos, se falta compromisso com a comunidade ou se está faltando vontade de fazer a diferença na imprensa. Sei que profissionais competentes para isso, as duas emissoras possuem. Não seria complicado criar uma rotina capaz de atender uma demanda da população que carece de informações que podem ser repassadas através das diversas instituições, entidades, órgãos públicos, comércio, escolas, enfim... fontes para isso não faltam.

Sou extremamente "bairrista", gosto de ver o desenvolvimento daquilo que é de nosso município. Não me interpretem mal, sou "fã de carteirinha" das duas emissoras de rádio, sou amigo de seus diretores, admiro os profissionais que atuam, mas esta postagem é apenas para percebermos juntos que há uma lacuna a ser preenchida quando o assunto é jornalismo.

Me recuso a sintonizar numa emissora de qualquer lugar deste Estado e ter que ouvir tanto "lepo-lepo" e outras musiquinhas ruins que, para nossa sorte, vão passar rapidamente.

Da mesma forma, a imprensa escrita em São Francisco de Assis também precisa evoluir muito. Lemos praticamente as mesmas formas de linguagens e notícias em semanários locais. Jornais regionais que circulam em nosso município e que admiro pelo trabalho e dedicação permanente, não atendem nosso desejo de leitura, pois acabam trazendo pouquíssimas notícias pelo espaço que poderia ser concedido ao município. Afinal, temos 20 mil habitantes e a cada esquina, uma fato novo acontece.
Não raro, algumas vezes já li informações erradas por não conhecerem a realidade dos fatos e não estarem tão presentes na vida dos assisenses.

Por sua vez, os jornais locais poderiam ir "mais longe" e criar pautas que valorizassem ainda mais nosso povo, nossa história, nossos potenciais, a vida dos assisenses, mas acredito que acabam pecando por falta de estrutura ou de recurso humano e esta barreira não é ultrapassada, ficando um espaço aberto e um mercado que poderia se expandir e garantir vida longa aos jornais.

Por outro lado, também entendo que aqueles que possuem um trabalho que poderia ser notícia, aproveitam muito pouco estes espaços. Muitas vezes poderiam sugerir pautas para virarem notícias numa edição qualquer. Formar uma rede de informações é muito complicada se não houver dedicação permanente.

Vou citar exemplos na região de imprensa falada e escrita: Rádio Santiago - O trabalho de Jones Diniz e de Paulo Pinheiro ainda considero imbatível na região quando o assunto é jornalismo local. Além de informações nos programas "Olho Vivo", "Santiago Atualidade" e "Jornal Falado", há reportagens "ao vivo" com entrevistas "in loco" que prendem a audiência. Que tal alguém se espelhar neles? Na imprensa escrita, vale destacar o Jornal Expresso Ilustrado,  apesar de conter poucas notícias de São Francisco de Assis, faço questão de apresentar como modelo de jornalismo na região por tratar diversos assuntos com pautas bem elaboradas e matérias bem escritas do município de Santiago. Aliás, Santiago é riquíssimo em informações não só pela cobertura das emissoras de rádio e jornais, mas também pelo número expressivo de blogues que atualizam seus conteúdos diariamente, como por exemplo "Nova Pauta" e "Rafael Nemitz", aos quais, leio sempre.

Falando em blogue, muitos ainda podem investir mais nesta ferramenta, pois acredito que enquanto as informações estiverem atreladas à algum interesse pessoal, à alguma religião ou partido político, nem tudo, é o que parece. Vejo que algumas vezes falta seriedade com aquilo que é publicado. Postar apenas o que interessa aos administradores de blogues, não considero nada profissional, já que imparcialidade é algo muito distante.

Torço que algo possa surgir para preencher esta lacuna, seja no rádio, no jornal ou até mesmo na internet.

Resumindo, na minha opinião:
- Melhor programa de rádio atualmente: Contato Geral (Rádiodifusão Assisense) por suas entrevistas e pela qualidade musical. Sem os "tchu, tchá.." e os "beijinhos no ombro" que na verdade, ninguém sabe o que é.
- Melhor programação cultural gaúcha: Rádio Sentinela Pampeana, pois percebo nos programas de Amilton Brum e Ranieri Santos, algumas músicas de qualidade dentro deste contexto. Afinal, nossa cultura precisa ser preservada em primeiro lugar por nós, gaúchos.

- Jornal com melhores pautas: Jornal Expresso Ilustrado, que se difere pela diversidade de conteúdos.
- Jornal com melhor Diagramação: Jornal Editor, que também detém a melhor cobertura de pautas do município.

Nenhum comentário: